Início » Blog – Ideias em movimento » Conheça os tipos de cortes e melhore sua técnica de edição

Conheça os tipos de cortes e melhore sua técnica de edição

 TEMPO DE LEITURA: 4 minutes

[Atualizado em 30 de abril de 2017]

Melhore sua técnica de edição: aprenda os tipos de cortes e transições e saiba como aplicá-los em suas produções.

Você não está feliz com suas edições? Não consegue identificar onde está o problema? Me acompanhe neste post, vou dar algumas dicas para uma técnica de edição mais profissional.

Acredito que o grande problema da maioria dos editores de vídeo é a falta de referências e repertório. Invista tempo e dinheiro assistindo bons filmes, no cinema ou na Netflix, não importa. O importante é nutrir sua criatividade.

Para melhorar sua técnica de edição, entender os conceitos e as aplicações também é fundamental. Este post tem o objetivo de ajudar você com isto, listei aqui os principais tipos de corte e transições.

Tipos de corte

Standard cut

É o tipo de corte mais comum na edição de vídeo. Também conhecido como hard cut ou, como chamamos, corte seco, é um corte sem efeitos de transição. Usado quando se tem uma sucessão de imagens dentro do enredo.

Jump cut

Jump Cut – Corte e avance o tempo – Melhore sua técnica de edição

Jump cut é um corte seco feito em uma sequência de imagem do mesmo plano onde se avança no tempo. É muito usado por youtubers para deixar o vídeo mais dinâmico, cortando a “respiração” e pausas. No cinema a aplicação do  jump cut é mais abrangente, serve para transmitir urgência ou criar a sensação de avanço no tempo.

Cutting on Action

Cutting on Action – Cortes e transições: Melhore sua técnica de edição

O cutting on action é o corte de um plano para o outro centrado no ponto da ação. Ao assistir a montagem finalizada tem-se a impressão de continuidade, No cutting on action o personagem começa a ação em um plano e finaliza no outro. Uma cena de soco ou chute ou um personagem abrindo uma porta podem ser exemplos da aplicação do cutting on action.

Cutaway

O cutaway interrompe a ação principal e leva o espectador para longe dela, inserindo um objeto na cena, geralmente o traz de volta para a ação principal. É usado para dar contexto a cena e aumentar a dramaticidade.

Cross Cut

Cross cut também conhecido como edição paralela é o corte intercalado entre duas cenas que acontecem em lugares diferentes e ao mesmo tempo. Pode aumentar a tensão e o suspense da cena.  

Match Cut

match cut é o tipo de corte que combina cenas diferentes mas com imagens semelhantes, transitando de um espaço para o outro sem perder a coerência e sem desorientar o espectador. Uma das cenas mais icônicas produzida com essa técnica é a do filme “2001: uma odisséia no espaço” do Stanley Kubrick.

Smash cut

O smash cut é a transição abrupta entre duas cenas com emoções ou narrativas completamente diferentes, um bom exemplo são as cenas de sonho quando o personagem acorda.   

Invisible cut

O invisible cut é usado para dar continuidade no corte sem que o espectador perceba o corte, é obtido quando o final da primeira sequência e o início da próxima termina em um objeto totalmente preto, com pouca luz ou ainda com a mesma cor. O invisible cut também pode ser obtido através do desfoque de um movimento rápido de câmera ou através de um objeto ou pessoas cortando a frente da câmera.

J cut e L cut

J cut  e o L cut recebem este nome pela disposição e alinhamento dos clipes na timeline. São recursos muito usados no cinema. 

O L cut é um tipo de corte que acontece quando o áudio do primeiro corte se prolonga e é transferido para o segundo.

L cut – Antecipe o áudio do primeiro corte – Melhore sua técnica de edição

Já o J cut é o contrário, ele acontece quando o áudio do segundo corte começa antes, ele é antecipado, o som chega para o espectador antes da imagem. Eles são usados de forma sutil e geram uma transição suave entre os planos sempre orientado pelo áudio.

J cut – Atrase o áudio do primeiro corte – Melhore sua técnica de edição

Fade in e fade out

No fade in a imagem surge a partir de uma transição suave da tela escura para a imagem, já no fade out a imagem desaparece a partir de uma transição suave da imagem para a tela escura.

Iris

Iris – Cortes e transições: Melhore sua técnica de edição

Recebe este nome porque, a princípio, esta transição era obtida na câmera a partir da abertura ou fechamento da íris. Pode ter um ponto focal, destacar um personagem ou objeto. Muito comum em desenhos animados. Hoje este efeito é adicionado pelo software de edição e está mais relacionado a uma questão estilística.

Iris no Premiere – Cortes e transições: Melhore sua técnica de edição

No Adobe Premiere você encontra alguns tipos de iris, pesquise em efeitos e arraste entre os clipes de vídeo.

Wipe

Wipe no Premiere – Cortes e transições: Melhore sua técnica de edição

O wipe acontece quando a transição é obtida a partir de movimentos e formas geométricas. Os mais comuns são o linear wipe e o radial wipe. Pode-se usar formas como estrela, cruz entre outras para fazer a transição. Um das grande franquias do cinema que utiliza este tipo de transição é Star Wars.

No Adobe Premiere você encontra vários tipos de wipe, pesquise em efeitos e arraste entre os clipes de vídeo.

Cross dissolve

Pode ser usado para transmitir passagem do tempo. O cross dissolve acontece em uma sobreposição de imagens, enquanto a primeira desaparece, a segunda surge.

Concluindo

Os cortes e transições apresentados neste post são simples. Quando usado com criatividade produzem melhorias incríveis na sua técnica de edição. Experimente nos próximos trabalhos aplicar e combinar estes conceitos, tenho certeza que você vai sentir uma grande diferença.

Gostou do post? Esta informação foi útil? Se sim, por favor me ajude na divulgação deste post. Compartilhe com seus amigos e em suas redes sociais, isso ajuda bastante. Compartilhar direto nos links abaixo do post.

Você me encontra também nas redes sociais: tem link para elas tanto no rodapé do site como na página sobre. Muito obrigado pela audiência, a gente se encontra no próximo post. Até lá!

15 comments

  1. Edson disse:

    Muito legal as explicações me ajudou bastante com exemplos de filmes. Só o match cut que o videos não abriu tem como colocar um outro videos pra exemplificar?

    • André Sarti disse:

      Olá Edson! Tudo bem?

      O vídeo do match cut é um conteúdo externo que acrescentei para enriquecer o conteúdo, realmente o vídeo foi bloqueado pela Fox. Vou pesquisar um conteúdo alternativo e te aviso assim que atualizar o post, por hora vou retirar este vídeo, muito obrigado por avisar.

      Obrigado também pela visita! Volte sempre estou planejando novos conteúdos! 🙂

  2. Douglas Oliveira disse:

    Muito boa a sua explicação…obrigado por compartilhar o seu conhecimento. Foi pontual para mim pois estou iniciando em edições de vídeos. Abraços

    • André Sarti disse:

      Olá Douglas!

      Sou grato pela sua visita e comentário! Me sinto realizado por ter te ajudado de alguma forma! Fique a vontade para dar uma passeada aqui no blog! tenho alguns posts sobre produção áudio visual.

      Obrigado e volte quando quiser!
      Um abraço! 🙂

  3. Júlia disse:

    Obrigada, colaborou bastante com meu TCC, em que eu precisava explicar sobre o corte seco. Obs: A referência foi colocada no trabalho.
    Parabéns.

    • André Sarti disse:

      Olá Júlia! Tudo bem?

      Fico muito feliz em poder te ajudar! Que legal!
      Boa sorte com seu TCC, depois me conte como foi!
      Desejo muito sucesso!

      Obrigado pela visita, volte sempre que desejar!
      Um abraço! 🙂

    • André Sarti disse:

      Olá Samantha! Tudo bem?

      Fico feliz em ter te ajudado de alguma forma, A edição de vídeo fica mais fácil quando se sabe os conceitos! Sou grato pela sua visita e comentário, volte sempre que desejar!

      Um abraço e ótimas edições! 🙂

  4. Tiago Mesquita disse:

    Oi André, bom dia.
    Eu fiz uma viagem onde capturei imagem e vídeo de três dispositivos diferentes, quando descarreguei eu fiz uma limpeza “seca” diretamente no explorer do windows, deletando as imagens/vídeos que não ficaram boas e que eu não usaria.
    Agora tenho o restante do material que pretendo usar, no entanto preciso ainda fazer um tratamento mais fino, ex: alguns vídeos não pretendo usar todo, preciso cortar ou mexer na cor um pouco, isso está ok, mas minha dúvida é a seguinte:

    Quero tentar extrair alguns vídeos de todo esse material após essa limpeza mais fina para colocar no youtube. ex: em um vídeo quero falar sobre “onde comer”, no outro quero falar “como chegar”, cada vídeo vai ter partes de todo esse conteúdo que teve o tratamento mais fino (para não precisar ficar refazendo esses cortes e ajustes em cada novo vídeo). Dúvida: como vc organizaria isso? pensei em tratar todo o material em uma única timeline e depois criar os vídeos (“onde comer” e etc) em novos canais de vídeo, copiando e colando os fragmentos de vídeo desejados, essa é a única forma de fazer isso?

    Me desculpe, ficou um pouco comprido a dúvida.

    • André Sarti disse:

      Olá Tiago! Tudo bem?

      Fico muito feliz quando recebe comentários como o seu, afinal faz parte do meu trabalho colaborar com o crescimento dos leitores aqui do blog!

      Como faria no seu caso? EU trabalho com o Adobe Premiere versão CS6 mas creio que para o que vou sugerir você pode utilizar qualquer versão ou até mesmo outros softwares, o princípio da maioria é bem similar.

      No Premiere, crio sequencias, por exemplo se vou editar um vídeo que tem depoimentos e imagens, crio uma sequencia para os depoimentos e outra para as imagens gerais. E em uma terceira sequencia crio a edição principal onde copio os trecho que me das outras sequencias.

      Você pode então editar e tratar as imagens em uma sequência principal. Daí em novas sequencias no mesmo projeto, fazer os cortes que deseja, para isso, basta copiar as imagens já com a correção de cor para uma nova sequencia.

      Basicamente isso!

      Sou grato pelo comentário e obrigado pela visita, volte sempre que desejar! 🙂

      • Tiago Mesquita disse:

        Opa André,

        Super obrigado pelo retorno. Deu uma clareada boa nas ideias. Então o trabalho é focado mesmo em sequências, correto?
        Eu teria portanto uma sequência principal com todo o tratamento mais finos, tipo a remoção de cenas de vídeos que não gostei, ajuste de cor e etc, essa sequência seria a maior, pois seria a junção de todos os vídeos e imagens… Após isso eu crio uma nova sequência tipo “onde comer…” e copio apenas os trechos referentes ao tema e passo para essa nova sequência, correto? tipo ctrl+c e ctrl+v mesmo né?

        Estou no trabalho agora, mas louco para chegar em casa logo para editar os vídeos =)!! E mais uma vez obrigado!

        • André Sarti disse:

          Isso mesmo Tiago! Você pode inclusive colocar na timeline a própria sequencia se desejar e cortá-la novamente, ou como considero mais fácil, copiar as cenas desejadas para uma nova sequencia.

          O Premiere permite inclusive importar uma sequencia de um outro projeto, basta arrastar o projeto para o programa e escolher as sequencias desejadas.

          Sucesso aí!

  5. Vinicius Duarte disse:

    Estou estudando para um concurso que está cobrando “técnicas de edição” e o conteúdo me foi muito útil. Bem didático. Já no primeiro vídeo consegui entender alguns conceito. Parabéns e obrigado!

    • André Sarti disse:

      Olá Vinícios, tudo bem?

      Fico muito feliz em ter ajudado Vinicius, esse é propósito do blog, disseminar conteúdo que ajude as pessoas que querem entrar nesse maravilhoso universo da produção audiovisual!

      Se puder compartilhe nossos links e nos ajude divulgar. Obrigado pela visita, volte sempre que desejar! Gratidão, boa sorte no concurso e um abraço” 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *