Início » Blog – Ideias em movimento » Razão e imaginação

Razão e imaginação

 TEMPO DE LEITURA: 2 minutos

Olá! Tudo bem com você!

Nesse post vamos conversar sobre imaginação e  razão, elementos essenciais para o desenvolvimento criativo.

A dualidade é uma tentativa de e facilitar a compreensão da vida. É muito mais fácil aceitar que dentro do ser humano existem forças opostas travando um duelo mortal, o bem contra o mal, amor contra o ódio, direita versus esquerda.

Detalhe da obra Circle Limit IV de M.C. Escher (1898-1971) – Razão e Imaginação

Quando falamos de razão e imaginação, rapidamente aceitamos a ideia de que o lado esquerdo do cérebro é responsável pela lógica enquanto o lado direito responde pela criatividade. Essa tese hoje em dia é muito questionada no meio científico.

Mesmo que algumas funções sejam atribuídas a um dos hemisférios do cérebro, eles atuam a todo momento, os hemisférios cerebrais não trabalham isolados, o lado direito não para de funcionar  quando o lado esquerdo está executando uma tarefa e vice-versa.

Entre a razão e imaginação

Quando estudo um tema como esse, gosto de recorrer a filosofia, ao menos conhecer a base de pensamento de alguns filósofos.

Por exemplo, a filosofia Racionalista, que é a corrente filosófica que usa o raciocínio (ação mental, lógica e discursiva), para concluir se uma proposição é falsa, verdadeira ou provável. Para eles a razão se opõe à imaginação.

Quando usamos a imaginação a nossa leitura da realidade vem dos nossos sentidos. Já quando usamos a razão, a leitura é feita a partir da nossa capacidade de raciocinar.

Outro pensamento é do filósofo suíço Jean-Jacques Rousseau (1712-1778). Para Rousseau, nas ações espontâneas o sentimento antecede as manifestações da razão. Para  uma verdadeira conquista intelectual, a razão deveria dar espaço à natureza humana por meio do sentimento.

O caminho do meio

Apesar de ser mais simples aceitar a ideia de que ou somos “razão” ou somos “imaginação”, precisamos de coragem para entender que há o caminho do meio. Esse caminho não é um caminho de passividade, mas um caminho de equilíbrio que precisa ser conquistado.

Coração e mente

Nas agências de publicidade a criação e o planejamento são departamentos separados que precisam conversar, muitas vezes isso é um desafio, pois separam o “coração” e “mente”.

Para o desenvolver a criatividade precisamos buscar a harmonia entre a razão e imaginação. Uma criação sem razão é vazia, não comunica. É preciso pensar antes de fazer, a criação deve ser estratégica.

Já o planejamento, deve ser criativo, não é só dados e números, é feeling. O planejamento não engessa mas da base para a criação.

Concluindo

Quando razão e a imaginação trabalham em harmonia, o resultado sempre é ótimo, cria-se espaço para o desenvolvimento criativo, construção de novas ideias e inspirações.

Antes de finalizar,  quero registrar que esse post faz parte do desafio do Café com blog, uma comunidade de blogueiros para troca de experiências e ideias.

Se gostou do conteúdo, por gentileza deixe o seu comentário, ele  é importante para melhorar o nosso conteúdo. Se puder compartilhe também nas redes sociais!

Muito obrigado! Um abraço! E até o próximo post! 🙂

Leia também:

38 comentários

  1. Achei interessante sua colocação, tenho professores que já falaram sobre razão e emoção (não imaginação) acabou falando abobrinhas e algumas coisas um pouco machistas (não é piriri de feministas até pq todos os garotos da sala tbm achou absurdo oq ele falou). E mais uma coisinha, acho muito interessante isso que você falou sobre o cérebro…
    Arrasou no desafio!

    • André Sarti disse:

      Olá Emily! Tudo bem?

      Sobre os termos é comum encontrar a emoção ao invés de imaginação, optei pela imaginação por se relacionar com a criatividade, um dos temas aqui do blog. Sou grato pela visita e comentário, volte sempre que quiser!

      Um abraço! 🙂

  2. Kelly Mathies disse:

    Acho sensacional começar a pensar sobre essas coisas. Por mais que seja algo muito natural pra gente, pouco nos damos conta daquilo que fazemos no dia a dia. É bem interessante trabalhar esses assuntos e começar a entender melhor nossa psique. Razão e imaginação realmente são tão opostos, mas, quando juntos, formam trabalhos tão incríveis. É meio que uma questão de equilíbrio, né? Teu post me lembrou o livro Razão e Sensibilidade, da Jane Austen. As duas personagens principais são muito opostas, mas quando se entendem, há algo maior ♥

    • André Sarti disse:

      Olá Kelly!

      O livro da Jane Austen é um bom exemplo de dualidade, é importante buscar o equilíbrio, pois as duas áreas estão atuando em nós e quado trabalham juntas, os resultados são melhores.

      Obrigado pela visita! Um abraço! 🙂

  3. Pietra disse:

    Oi, André! Tudo bem?
    Gostei bastante da base filosófica utilizada (acho Rousseau incrível) e também da forma como você abordou a relação razão-imaginação. Interessante saber que, quando “unidas”, resultam no desenvolvimento criativo… Equilíbrio é tudo, né? 🙂
    Parabéns pelo post! Muito bem elaborado e conciso.

    Abraços,
    Pietra

  4. Espelho Mania disse:

    Uau, achei espetacular sua colocação, confesso que até comecei a olhar algumas coisas de um modo diferente, parabéns pelo desafio, adorei o post, parabéns, muito bem escrito e concreto.
    abraço

    • André Sarti disse:

      Olá Larissa!

      Fico muito feliz que tenha gostado do post, a ideia do blog é essa mesma, dar movimento as ideias, provocar questionamento e mudança. Muito grato pela sua visita e comentário. Volte sempre que desejar!

      Um abraço! 🙂

  5. Acredito também que a razão e a imaginação devem caminhar juntas! Devemos encontrar equilíbrio em tudo em nossas vidas para que as coisas deem certo.
    Seu post está super bem escrito e completinho, parabéns pelo trabalho! 🙂

  6. Olá!
    Me deliciei com seu post. A neurociência cada dia nos surpreende com provas de que a dualidade para descrever o cérebro é muito simplista. A cultura milenar chinesa prega exatamente isso no Yin-Yang: nós e o mundo são o equilíbrio.

    Beijos!
    Gatita&Cia.

    • André Sarti disse:

      Olá Tatiana!

      Que bom que gostou! Geralmente recorremos a dualidade porque é mais fácil ver o mundo dessa forma, entretanto, existe nuances, Somos humanos e é próprio da gente, por isso precisamos do equilíbrio, para ser mais e melhor! Obrigado pela visita e pelo comentário! Volte sempre que desejar!

      Um abraço! 🙂

  7. Erica Oliveira disse:

    O grande problema é que não é facil manter o equilíbrio entre razão e imaginação. Eu sempre fui mais razão, inclusive em alguns trabalho tinha muita dificuldade em torná-lo menos técnico rsrs escrever para o blog me ajudou bastante a desenvolver o outro lado, mas confesso que as vezes a razão ainda predomina rsrs

    • André Sarti disse:

      Olá Érica!

      Isso mesmo, o equilíbrio é nosso desfio, o que eu estou dizendo é que ser inflexível não é bom, principalmente para as atividades criativas, Aí entra o autoconhecimento, que nos ajuda a identificar nossas principais características, para potencializar onde somos fracos e reduzir um pouco onde somos fortes.
      Muito obrigado pelo comentário e pela visita! Volte sempre!

      Um abraço! 🙂

  8. Ingrid Raggio disse:

    Uauu! Arrasou no texto! Seu texto esta bem explicadinho. Concordo plenamente com você a respeito do equilíbrio. Equilíbrio é tudo em nossas vidas e com ele conseguimos progredir e fazer tudo certo.

  9. Oi André, tudo bem? Esse desafio é realmente incrível. Ele nos ajuda a sermos criativos, pensar “fora da caixa” e desenvolvermos textos que em condições normais seria mais difícil. Algumas pessoas defendem que só podemos ser um ou outro, quer dizer, ou somos sempre levados pela razão ou então pelo coração. Mas particularmente acredito que há um meio termo. Podemos sim encontrar equilíbrio e usar os dois lados conforme a situação. Isso com certeza nos tornará pessoas melhores. Beijos, Érika =^.^=

  10. Gosto muito de como a imaginação pode enfrentar barreiras e ultrapassar fronteiras com relação as dificuldades que acontecem no dia a dia. A razão nos deixa um pouco impossibilitado de fazer muitas coisas que queremos.

    • André Sarti disse:

      Olá Laís!

      Percebe o quanto essas duas forças são importantes, a imaginação é a força e a razão a direção, para atingir os nossos objetivos precisamos de equilíbrio. Sou grato pelo seu comentário e pela sua visita! Volte sempre que desejar!

      Um abraço! 🙂

  11. Giulia Abreu disse:

    Concordo com o seu ponto de vista, e acho sim que temos que ter harmonia entre a razão e a imaginação. Acho que quando as duas trabalham juntas, o efeito é muito satisfatório.
    Gostei muito do seu blog.
    Parabéns e sucesso!

    • André Sarti disse:

      Olá Gislaine!

      Muito obrigado pelo comentário, gosto muito de filosofia, os grandes pensadores nos ajudam a entender melhor o mundo e a vida!
      Sou grato pela visita, volte sempre que desejar!

      Um abraço! 🙂

  12. Achei bem interessante a forma como você construiu seu pensamento, principalmente pela clareza nas suas ideias, e concordo com você, acho que razão e imaginação devem caminhar juntos, acredito realmente em um meio termo entre eles, não havendo a possibilidade de estarem separados. Parabéns pelo texto!

  13. Amanda disse:

    Oi, André! Adorei o teu post e concordo contigo, ninguém é 100% razão ou emoção. É muito importante saber dosar tudo em nossa vida, precisamos encontrar um ponto de equilíbrio. Achei legal citar a questão das agências de publicidade! Realmente todos os setores de uma agência devem funcionar em comunhão, visando um objetivo claro e estratégico. Não é porque estão lidando com a criatividade que podem deixar o raciocínio lógico pra lá: são negócios! Parabéns pelo texto!

    • André Sarti disse:

      Olá Amanda!

      Com o avanço tecnológico os dados são elementos poderosos para as decisões estratégicas de comunicação, apesar de importante, a criação precisa muito de uma leitura precisa desses dados para decidir qual o caminho criativo deve seguir. Curti muito sua visita e seu comentário. Volte sempre!

      Grato! Um abraço! 🙂

  14. Renata disse:

    Oi André, adorei a discussão que você trouxe à luz para o post do desafio do Café.
    Eu sou o tipo de pessoa que sempre acredita, antes de qualquer coisa, no equilíbrio. E, assim, sempre vi como impossível (a corrente Racionalista e Rousseau que me perdoem… rs), ter razão e imaginação em separado. Somos seres dualistas, estamos sempre repletos de opostos que, sopesados, precisam entrar em sintonia para que se encontre o meio termo, o equilíbrio. É um exercício diário e normal esse de colocar o racional em conflito com a imaginação e, ao mesmo tempo, conseguir pegar o que de melhor cada lado tem a oferecer (isso se, realmente forem dois lados opostos. Talvez lados opostos, mas, ao menos, da mesma moeda, por assim dizer… rs).
    xoxo

    • André Sarti disse:

      Olá Renata!

      Grato pelo seu comentário! Fico muito feliz que gostou do post, o objetivo é esse mesmo, provocar a reflexão sobre o tema e estimular o pensamento. Obrigado pela visita, volte sempre que desejar!

      Um abraço! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *